• Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

CANARANA - De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), quatro casos suspeitos de sarampo foram registrados no estado. As notificações foram em Canarana, General Carneiro, Sorriso e Cuiabá.

Entretanto, segundo a SES, no caso do morador de Cuiabá, o vírus foi contraído em Tocantins e a doença foi tratada lá. Porém, é necessário que seja feita a notificação junto ao estado para que providências possam ser tomadas.

Ainda segundo a secretaria, quando um caso suspeito é identificado, é necessário que toda a família do paciente seja imunizada. Portanto, todos os conviventes devem tomar a vacina contra o sarampo.

No caso das pessoas diagnosticadas com sintomas da doença, todas foram tratadas e não correm risco de morte ou transmissão.

SOBRE O SARAMPO

Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Os principais sintomas são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido, mal-estar intenso. Em torno de 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade. 

A única maneira de evitar o sarampo é por meio da vacina. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta a vacina tríplice viral, que é SEGURA e protege contra todos os genótipos do sarampo circulantes no mundo.

Para a EFICÁCIA DA VACINA, a pessoas precisam tomar todas as doses previstas no Calendário Nacional de Vacinação: duas doses a partir de 12 meses a 29 anos de idade; e uma dose para a população de 30 a 49 anos de idade. Atualmente há ainda a recomendação do Ministério da Saúde de aplicar uma dose extra, a chamada ‘dose zero’ em crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. Esse público está mais suscetível a casos graves e óbitos.

Veja Também