• Eletrofase
  • Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 15 MARÇO 2019

 

GOIÂNIA - Estão retornando hoje para Água Boa, o jovem acometido de dengue hemorrágica e seus familiares.

Dia 02 de março, o jovem água-boense foi conduzido para uma UTI em Goiânia com suspeita de dengue hemorrágica.

Após dias internado na UTI do Hospital São Silvestre, ele foi transferido para o Hospital de Doenças Tropicais de Goiânia. Nessa casa de saúde os tratamentos médicos fizeram efeito.

Nessa semana, o jovem saiu da UTI e após última consulta hoje, ele recebeu alta e está retornando para casa.

Ele permaneceu por quase 3 semanas em hospitais, já que internou no fim de fevereiro no Regional Paulo Alemão de Água Boa, de onde foi transferido para Goiânia.

 

======================================== 

ATUALIZADA DIA 11 MARÇO 2019

 

GOIÂNIA – Deve deixar hoje a UTI do Hospital dce Doenças Tropicais de Goiânia, o jovem água-boense de 17 anos acometido de dengue hemorrágica. Ele contraiu dengue em Água Boa na última semana de fevereiro, e no dia 02 de março, foi transferido para a UTI com dengue hemorrágica.

Após permanecer por quase duas semanas na UTI, ele deverá ser removido para um quarto de enfermaria, para seguir em tratamento médico até sua plena recuperação. Outras pessoas da mesma família também contraíram a dengue, mas sem apresentar sintomas graves.

 

=============================================== 

 

Postado em 03 março 2019

 

MosquitoÁGUA BOA - Um caso de dengue hemorrágica acometeu um jovem de 17 anos de Água Boa. Ele teve os primeiros sintomas essa semana.

Quando o quadro se agravou ele foi transferido neste sábado para a UTI do Hospital São Silvestre de Goiânia, onde segue em tratamento médico especializado.

O caso ainda está sob investigação, mas a primeira informação que nossa reportagem obteve é de que se trata de dengue hemorrágica, um quadro mais grave da doença transmitida pelo mosquito aedes aegypti.

Essa semana, em outra reportagem, a Interativa já alertava para aumento nos casos de dengue nos últimos dias na cidade. Se a dengue retornou é porque a população não está fazendo o dever de casa, combatendo o mosquito transmissor da doença.

VEJA MAIS SOBRE DENGUE HEMORRÁGICA

dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com o vírus da dengue sofre alterações na coagulação sanguínea. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.

Existem quatro tipos de vírus causador da dengue com quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. A infecção por um deles dá proteção para o mesmo sorotipo e imunidade parcial e temporária contra os demais.

Os sintomas iniciais são parecidos com os da dengue clássica, e após o terceiro ou quarto dia surgem hemorragias causadas pelo sangramento de pequenos vasos da pele e outros órgãos. Na dengue hemorrágica, ocorre uma queda na pressão arterial do paciente, podendo gerar tonturas e quedas da própria altura.

No continente americano, a primeira epidemia de dengue hemorrágica aconteceu em Cuba, em 1981. No Brasil os casos de dengue hemorrágica eram raros até o ano 2000, quando chegou ao país o vírus da dengue tipo 3. Isso aumentou o número de casos, pois iniciou a infecção em pessoas que já tinham sido acometidas pelo vírus 1 e/ou 2.

Causas

A transmissão da dengue ocorre através da picada do mosquito Aedes que, após um período de 10 a 14 dias após ter sido contaminado ao alimentar-se de sangue humano com o vírus da dengue, pode transportar o respectivo vírus durante toda a sua vida. A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa.

Sintomas de Dengue hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos sintomas de dengue clássica. A diferença é que a febre diminui ou cessa após o terceiro ou quarto dia da doença e surgem hemorragias em função do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Veja os sinais de alerta:

  • Dores abdominais fortes e contínuas
  • Vômitos persistentes
  • Pele pálida, fria e úmida
  • Sangramento pelo nariz, boca e gengivas
  • Manchas vermelhas na pele
  • Comportamento variando de sonolência à agitação
  • Confusão mental
  • Sede excessiva e boca seca
  • Dificuldade respiratória
  • Queda da pressão arterial.

Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória. A baixa circulação sanguínea pode levar a pessoa a um estado de choque. Embora a maioria dos pacientes com dengue não desenvolva choque, a presença de certos sinais alertam para esse quadro:

  • Dor abdominal persistente e muito forte
  • Mudança de temperatura do corpo e suor excessivo
  • Comportamento variando de sonolência à agitação
  • Pulso rápido e fraco
  • Palidez
  • Perda de consciência.

A síndrome de choque da dengue, quando não tratada, pode levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.