0
0
0
s2sdefault

 ÁGUA BOA – A Câmara de Vereadores promoverá audiência pública discutir a situação do esporte no município. O encontro está previsto para o dia 29 de maio, às 19hs, no Plenário José Nogueira Paniago. 

A população em geral e os desportistas podem participar dos debates para apontar sugestões, potencialidades e problemas do esporte.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

CUIABÁ - O dinheiro da JBS abasteceu as contas de campanha de seis dos oito deputados federais de Mato Grosso, eleitos em 2014. A grande maioria destes parlamentares recebeu os recursos por meio das direções de seus partidos. No total, os parlamentares receberam R$ 930 mil, recursos declarados, pelas empresas, siglas e candidatos, à Justiça Eleitoral, o que é legal.

Maior exportadora de carne do Brasil, a JBS doou, naquele ano, R$ 366,8 milhões a aproximadamente 1,9 mil candidatos espalhados pelo Brasil. O maior recebedor de recursos da JBS foi também o único que recebeu a doação de forma direta, o deputado Carlos Bezerra (PMDB). Conforme a prestação de contas do parlamentar, disponível no site da Justiça Eleitoral, a empresa repassou para a campanha do peemedebista R$ 500 mil.

Em relação aos demais parlamentares, as doações ocorreram de forma indireta, ou seja, por meio de repasses dos diretórios estadual e nacional dos partidos. São os casos de Ságuas Moraes (PT), que recebeu R$ 150 mil, mesma quantia encaminhada para a campanha de Fábio Garcia (PSB). Os deputados Adilton Sachetti (PSB) e Valtenir Pereira (PMDB), à época no PROS, tiveram um aporte de R$ 50 mil cada. Por fim, outra campanha abastecida com tais recursos foi a de Victório Galli (PSC). Conforme a Justiça Eleitoral houve uma transferência de R$ 30 mil. Dos eleitos, apenas os deputados Ezequiel Fonseca (PP) e Nilson Leitão (PSDB) não foram beneficiados com recursos da empresa do ramo de carne.

Do mesmo modo, o governador Pedro Taques (PSDB) e o senador Welington Fagundes (PR), eleitos no mesmo ano, também não receberam recursos da JBS. Todas estas doações foram declaradas à Justiça Eleitoral, tanto pela empresa, quanto pelas siglas e pelos parlamentares e, de acordo com a legislação daquela época - hoje há a proibição da transferência de recursos de empresas - estão perfeitamente legais. Os políticos, inclusive, tiveram suas contas aprovadas.

O deputado Fábio Garcia explica que no caso das doações indiretas, o candidato só sabe a origem dos recursos - no caso a JBS - no momento da prestação de contas. “Nós recebemos a doação do partido e nem sabemos qual foi a empresa ou pessoa que doou para a sigla. Posso assegurar que nunca solicitei qualquer tipo de doação para a JBS e que tudo o que recebi foi declarado pela Justiça, que aprovou minhas contas”. Do mesmo modo, Sachetti explicou, em entrevista à Rádio Capital FM, que de fato há o recebimento dos R$ 50 mil.

“Foi tudo oficial, como manda a Lei, mas nessa hora eles não separam ninguém e incluem todos como se fossem bandidos para salvar os criminosos”, ressalta, citando o acordo de colaboração firmado pelos donos da JBS, os irmãos Joesley e Wesley Batista. A reportagem tentou contato com os demais parlamentares que receberam os recursos, mas nenhum deles atendeu as ligações. (sonoticias.com.br)

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 26/04

ÁGUA BOA - Hoje, 26 de abril, ocorreu encontro de integrantes da Comissão que elaborou documento de protesto contra as reformas da previdência em estudo na Câmara dos Deputados. Participaram algumas lideranças apontadas na audiência pública sobre o tema realizada em março pela Câmara de Vereadores. Membros da Comissão
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Odair Prioli deixou claro que é contra a reforma da maneira como está sendo proposta. Prioli lembra que esta reforma deveria ser discutida amplamente com os trabalhadores.
O presidente do sindicato disse estranhar que a população em geral, a maior atingida pela reforma, esteja calada diante desse quadro.
Já o vereador Fernando Quintanilha, autor da proposta de realização da audiência pública sobre a reforma da previdência, disse que é a favor de uma reforma, desde que ela atinja todos os beneficiários da previdência, e não apenas os trabalhadores.
Fernando Quintanilha viajará à Brasília na semana que vem para entregar este documento em mãos aos deputados federais de Mato Grosso. É uma forma de pressionar os parlamentares para que não aprovem leis que prejudiquem somente a classe trabalhadora. O vereador quer que o projeto seja amplamente discutido pela sociedade e não somente pelo congresso.
Acompanha o documento de protesto um abaixo-assinado encaminhado pelo Sintep - Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso, subsede de Água Boa. Foram colhidas mais de mil assinaturas contra as pretendidas reformas sem amplos debates. A representante do Sintep fez a entrega do abaixo-assinado ao vereador Fernando. (Inácio Roberto)

Sintep entrega abaixo assinado ao vereador

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

=================== 

 

ÁGUA BOA – A Câmara de Vereadores de Água Boa promoveu ontem à noite, audiência pública para discutir as reformas na previdência social. O encontro foi presidido pelo vereador presidente da Casa, José Ari Zandoná, com a participação dos vereadores Leonardo Ribeiro, Sandro Lúcio Aleixo, Fernando Quintanilha e Joaquim dos Anjos da Paixão. 

Participaram como convidados de honra o servidor público federal, Igor de Souza Matos, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Odair Prioli, e a presidente do Sintep, Noeli Capitanio. Populares e estudantes lotaram a Câmara Municipal. A proposta dessa audiência partiu do vereador Fernando Quint6nilha.

ÁGUA BOA – O servidor do INSS Igor de Souza Matos parabenizou a Câmara Municipal pela convocação da audiência pública. Ele disse que a previdência precisa passar por reformas, mas não desta forma. Ele disse que falta gestão pública à Previdência Social. Igor salientou que atualmente, um trabalhador não consegue se aposentar com valor integral, pois o cálculo é feito em cima da média das maiores contribuições de 1.994 para cá. O servidor defendeu que o trabalhador rural também deve contribuir para a Previdência, além do Funrural que já custeia o benefício.

ÁGUA BOA – Rubens Cesar de Castro questinou qual será a atitude dos vereadores de Água Boa em relação aos deputados federais que aprovarem a reforma da previdência. Rubens lembra que ano que vem teremos eleições gerais, quando os deputados e senadores virão pedir voto da população. Ele sugere que os vereadores não apoiem os deputados que hoje votam a favor de reformas radicais na previdência, prejudicando a massa trabalhadora. O morador espera que os vereadores defendam o povo nessa questão.

ÁGUA BOA – O vereador Fernando Quintanilha informou que não vai pedir voto para deputado de Mato Grosso que aprovar esta reforma da previdência. Ele sugeriu que seja encaminhado uma nota de repúdio do povo de Água Boa contra essa reforma da previdência. O vereador lembra que atualmente tem empresa que desconta o INSS do trabalhador, mas não recolhe o dinheiro ao Instituto, lesando o trabalhador. Segundo Quintanilha, falta gestão na previdência, e por isso ocorrem tantos desvios. Fernando lembra que altos cargos e alguns políticos nesse país conseguem se aposentar com fortunas, mas isso não está sendo discutido no atual projeto de reforma. Quintanilha disse que dos 513 deputados federais e 81 senadores, talvez 80% sejam sem vergonha. Para ele, existem poucos políticos honestos na atualidade.

ÁGUA BOA – O presidente do poder Legislativo informou que a região Araguaia conta com 300 mil eleitores, mas não consegue eleger um deputado estadual. José Ari Zandoná lembra que na última eleição, 90 candidatos a deputado de outras regiões fizeram voto em nossa cidade. Ari pediu que o povo tenha mais cuidado na hora de votar, apoiando gente de nossa região. Segundo ele, deputados de fora até hoje vem pedir voto, mas nunca defende nossos interesses. Zandoná observou que a região Norte de Mato Grosso tem 500 mil eleitores e consegue eleger 7 deputados estaduais e um federal. O vereador também disse que já perdeu a esperança no atual Congresso Nacional, pelas atitudes antidemocráticas dos seus integrantes. Anunciou que uma comissão vai elaborar um documento a partir dessa audiência pública para enviar ao Congresso Nacional. Ele espera que as demais cidades da região promovam suas audiências para discutir o mesmo assunto.

ÁGUA BOA – O vereador Joaquim dos Anjos “Quincão’ da Paixão pediu que o povo participe mais das ações políticas. Ele afirmou que um documento será tirado a partir dessa audiência pública. Este documento será enviado aos políticos, informando qual o pensamento do povo sobre a reforma da previdência. Quincão salientou que o povo precisa ficar atento para não concordar com os maus políticos que virão no ano que vem pedir voto da população.

ÁGUA BOA – O servidor público Alceu Busanello informou na audiência pública que o governo federal usa estratégias muito inteligentes para enganar e trair o povo. Ele criticou esta reforma da previdência pretendida pelo governo, que não passou por nenhuma instância de discussão com a classe trabalhadora. O professor destacou que não consegue se ver com idade avançada ainda trabalhando com o mesmo rendimento em sala de aula. Busanello pediu que a população precisa acordar e se manifestar contra o projeto de reforma da previdência.

ÁGUA BOA – A presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público Subsede local afirmou que PEC da Previdência trará grandes prejuízos à classe trabalhadora. Noeli Capitanio disse que diante de um assunto tão grave, a população não está reagindo, porém, aceita tudo passivamente. Segundo a professora, o povo ainda não percebeu a gravidade do momento. Noeli falou que o Sintep está recolhendo assinaturas que acompanharão o documento da Câmara para tentar sensibilizar as autoridades federais a não aprovar este projeto de reforma da previdência social.

ÁGUA BOA – O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais lembra que atualmente, mesmo o trabalhador rural não contribuindo diretamente para a previdência, existe o desconto do Funrural. Odair Prioli disse que de todos os produtos agrícolas vendidos, 2% são recolhidos ao Funrural que repassa para a previdência. Para ele, o trabalhador rural precisa ser contemplado com aposentadoria especial pelo serviço totalmente insalubre prestado por ele. Prioli disse que o projeto da terceirização aprovado na semana passada já é o começo da derrocada dos trabalhadores. Ele anunciou que as centrais sindicais que defendem o homem do campo promoverão no dia 28 de abril, uma paralisação nacional contra a reforma da previdência social.

ÁGUA BOA – O agricultor Pedro Possamay também se manifestou na audiência pública de ontem a noite na Câmara Municipal. Ele disse que todos os brasileiros deveriam ser iguais perante a lei, mas isso não ocorre hoje em dia. Ele afirmou que diante da crise econômica atual, todos devem dar sua parcela de colaboração. Porém, ele acha um abuso o aumento de contribuição de 35 para 49 anos pretendido nesta reforma. Possamay declarou que a reforma só está sendo exigida do trabalhador privado, deixando o setor público fora.

Confira as imagens/áudios do evento:

{lightyoutube}UywHyvNBvog{/lightyoutube}

{cwgallery}

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

 NOVA NAZARÉ – A prefeitura de Nova Nazaré promoveu no dia 18 de abril, audiência pública visando esclarecer a sociedade sobre a real situação do município.

Participaram do encontro, o prefeito João Teodoro Filho, secretários de Saúde Geroni Bueno de Camargo, da educação Elson Kamiguchi, de administração, Kenia Cristina Campos de Azevedo Iuen, diretor de Saúde Donizete Alves de Oliveira, presidente da Câmara Reginaldo Martins Del Colle, Contador Antonielson Rodrigues de Sousa Junior.

O vice-prefeito, João Batista de Alvarenga, a primeira dama, Edivanda Maria da Silva Teodoro também participaram do evento. O contador do município, Antonielson Rodrigues divulgou dados contábeis do 3° quadrimestre de 2016. Foi destaque na audiência a situação deplorável da frota escolar e da viação e transporte deixada pela administração anterior.

Ao final da audiência, foi anunciada que a dívida herdada pela atual administração passa de R$ 3,7 milhões de reais. A arrecadação foi maior que a prevista para o ano de 2.016 em 20%, porém as despesas superaram a receita. Isso acarretou no aumento da dívida pública do município.

{cwgallery}

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

ÁGUA BOA – O Fórum Sindical, grupo que reúne as classes do funcionalismo público estadual, participa de uma ação que pretende pressionar deputados e senadores a votarem contra a Reforma da Previdência. Os sindicalistas instalaram 48 outdoors por todo o Estado e cobrando voto contrário dos parlamentares que representam Mato Grosso contra a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) nº 287.
Água Boa foi uma das cidades que recebeu o outdoor. A peça publicitária foi colocada na Avenida Araguaia, onde há um grande fluxo de pessoas. Além de Água Boa, Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Tangará da Serra, Diamantino, Cáceres, Barra do Garças, Sorriso, Sinop, Alta Floresta e Pontes e Lacerda também receberão outdoors.
A ação, de acordo com o Fórum Sindical, teve início no dia 20 de março . Nos outdoors, é possível ver os retratos dos oito deputados federais que representam Mato Grosso – Carlos Bezerra (PMDB), Valtenir Pereira (PMDB), Nilson Leitão (PSDB), Victório Galli (PSC), Fábio Garcia (PSB), Ezequiel Fonseca (PP), Adilton Sachetti (PSB) e Ságuas Moraes (PT) -, além dos três senadores da República pelo Estado - José Medeiros (PSD), Cidinho Santos (PR) e Wellington Fagundes (PR).
O outdoor contém ainda os dizeres “Diga não à reforma da previdência! Você votou neles? Agora não deixem que eles votem contra você! Reaja agora ou morra trabalhando!”.
Além do Fórum Sindical, a propaganda também traz as logomarcas de alguns dos principais Sindicatos dos servidores públicos mato-grossenses – como o Sintuf-MT, Sintep-MT, Sisma-MT e outros -, e também da Força Sindical, da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).
A PEC 287, que tramita na Câmara dos Deputados, é de autoria do governo Michel Temer (PMDB) e vem causando polêmica na sociedade brasileira. A iniciativa que pretende alterar as regras de aposentadoria propõe tempo de contribuição de 49 anos à previdência para ter direito a aposentadoria integral, e idade mínima de 65 anos para acessar o benefício. Nessa configuração, os trabalhadores e trabalhadoras teriam que iniciar sua vida profissional aos 16 anos de idade.
O tempo mínimo para contribuição é de 25 anos. Nesses casos, os beneficiários terão direito a 75% do valor da aposentadoria. O governo federal também pretende extinguir o recebimento da previdência e de pensão por uma mesma pessoa. Os regimes especiais para professores, policiais, e trabalhadores rurais também podem mudar. As regras, no entanto, permaneceram as mesmas atualmente vigentes para homens com mais de 50 anos e mulheres com mais de 45, entre outras propostas.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

 BOM JESUS DO ARAGUAIA – A Assembleia Legislativa promoveu ontem, quinta-feira, audiência pública de mobilização da sociedade do Araguaia para a urgente necessidade de retomada das obras de asfaltamento da BR-158.

Trata-se de única via que corta o Araguaia de norte a Sul, que possui mais de 130 quilômetros de chão batido. O encontro com políticos, setor produtivo e lideranças regionais ocorreu na BR-158, entroncamento com a MT-322 no posto Alô Brasil. As obras estão paralisadas há mais de 6 anos, comprometendo o desenvolvimento do norte Araguaia.

Milhares de pessoas trafegam pela rodovia de chão, colocando em risco vidas e patrimônio em uma estrada mal conservada. Participaram do encontro, representantes do Ibama, da Funai, do DNIT, do Ministério dos Transportes e diversos deputados e políticos da região. Estiveram no encontro os vereadores Leonardo Ribeiro, Sandro Lúcio Aleixo e Fernando Quintanilha de Água Boa.

O cacique Damião da reserva Indígena Marãiwatsédé também se fez presente junto com 18 prefeitos e dezenas de vereadores da região. Todos estão reivindicando a conclusão da BR-158 pelo trecho que contorna a reserva indígena.

As informações são do vereador Leo Enfermeiro com fotografias dele e da Rádio Web Nativa de Novo Santo Antonio/MT.

 {cwgallery}

Add a comment