• Brasil Escolar
  • H Cancer MT
0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 10/02/2.017

ÁGUA BOA – O inquérito policial que investiga a morte e o esquartejamento de um reeducando na Penitenciária Regional Major Zuzi já foi remetido ao Fórum.

No dia 21 de novembro passado, agentes penitenciários descobriram após uma revista, que um preso havia sumido. Seus restos mortais foram encontrados na cela 13 da penitenciária. O delegado que presidiu o inquérito, Dr. Sued Dias, disse que não vai repassar detalhes sobre o caso.

Ele não informou também se alguém foi indiciado nem quantos são os responsáveis pelo bárbaro crime. Após matar o apenado, alguém esquartejou e desossou seu corpo. Partes do corpo foram encontrados na tubulação de esgoto do presídio. Segundo o delegado, será mantido sigilo absoluto na condução do caso.

 

=====================

ATUALIZADA DIA 22/11 - LEI DO SILÊNCIO IMPERA ENTRE REEDUCANDOS

ÁGUA BOA – O delegado Dr. Sued Dias de Cocalinho, informou esta manhã, que ALGUNS presos da cela 13 da Penitenciária Regional Major Zuzi serão indiciados nos crimes de homicídio qualificado, destruição de cadáver e associação criminosa. Foi nessa cela que foram encontrados restos mortais de um reeducando.Delegado Sued DiasDelegado Sued Dias

Os reeducandos estão sendo apontados como suspeitos da morte esquartejamento de outro reeducando, fato descoberto ontem cedo. Segundo o delegado substituto, os presos das celas 14 e 16 serão indiciados nos crimes de destruição de cadáver e associação criminosa.

Como impera a lei do silêncio, ninguém confessou o crime. A Polícia Civil vai aguardar o laudo de necropsia dos restos mortais encontrados, inclusive o exame de DNA por parte da Politec. Somente depois, será confirmada oficialmente a vítima fatal desse macabro crime.

 

===================== 

ATUALIZADA DIA 21/11/2.016 - 16HS - 

ÁGUA BOA - Um crime chocante de repercussão estadual foi descoberto esta manhã na Penitenciária Regional Major Zuzi de Água Boa. Na contagem dos presos, os agentes penitenciários notaram a ausência de um reeducando. Em seguida, a confirmação de um crime macabro.

O reeducando veio transferido recentemente da Penitenciária Central do Estado em Cuiabá. Segundo fontes da penitenciária, ele pertencia ao PCC – primeiro Comando da Capital, uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios em todo país. O que restou do corpo do apenado foi localizado em uma cela do Raio Vermelho.

A visão macabra chocou até mesmo os agentes penitenciários e policiais que investigam o crime. O corpo foi esquartejado e desossado. As partes moles do corpo tinham sido jogadas no esgoto da cela. Somente os ossos foram encontrados. Técnicos da Politec estiveram no local recolhendo os restos mortais. Como a câmara fria da Politec local está com defeito, os restos mortais foram encaminhados para Barra do Garças, e de lá, irão para o setor de Antropologia do IML de Cuiabá.

Somente um exame de DNA poderá determinar quem é a vítima desta morte cruel. Dos 23 reeducandos que estavam nesta cela, 9 deles foram trazidos para a Delegacia de Polícia local, onde estão prestando depoimento esta tarde. A oitiva dos reeducandos pode ser demorada.

A polícia civil tem vários mistérios para investigar e desvendar: que tipo de instrumento foi utilizado para esquartejar o corpo, quem participou do crime e quais os motivos. Quem for responsabilizado pela morte do reeducando, pode ser enquadrado nos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, associação criminosa, entre outros.

Comanda o inquérito policial, o Delegado Dr. Sued Dias de Cocalinho, substituindo a titular, Dra. Luciana Canaverde, que está de licença médica. O único preso que não respondeu à chamada na cela é Leandro Real Pereira, mas a confirmação só virá após exame de DNA que pode demorar alguns meses.

Penitenciária Major ZuziPenitenciária Major Zuzi

============= 

ÁGUA BOA – Um preso foi morto nas últimas horas na Penitenciária Regional Major Zuzi. Trata-se de um reeducando que veio transferido recentemente da capital do Estado. 

Na contagem dos presos feita hoje pela manhã, os agentes prisionais notaram sua ausência. Pelas primeiras informações ainda extraoficiais, o preso teria sido esquartejado e colocado dentro da tubulação de esgoto da cela.

Porém, isso ainda não foi confirmado oficialmente pelas autoridades.

Técnicos da Politec e da Polícia Civil estão neste momento na Penitenciária efetuando levantamento dos fatos. Alguns reeducandos que estavam na mesma cela foram conduzidos para prestar esclarecimentos na Delegacia de Polícia.

Detalhes nas próximas horas.