• Eletrofase
  • Anuncie
  • Brasil Escolar

0
0
0
s2sdefault

FOTO GOOGLE / ILUSTRATIVAÁGUA BOA – Um bombeiro do estado de Goiás, de 48 anos foi atingido por tiro acidentalmente dado por ele mesmo, e foi socorrido até o Hospital Regional Paulo Alemão. A Polícia Militar recebeu uma solicitação que informava que durante a madrugada um homem teria dado entrada no hospital, vítima de arma de fogo.

A PM deslocou até o Hospital Regional Paulo Alemão, e o homem que teria levado o tiro estaria dentro do centro cirúrgico para a retirada do projétil que ficou alojado em sua perna direita. Os policiais foram abordados por um médico, que retirou a ‘bala’ da perna do homem. O doutor relatou que antes de entrar no centro cirúrgico, ele foi abordado por outros dois suspeitos, que perguntaram sobre o tempo de duração do procedimento para retirar a bala. O médico informou as pessoas que estavam acompanhando o homem baleado, que demoraria cerca de uma hora.

Ao serem informados também, que a autoridade policial local seria acionada, essas pessoas tomaram rugo ignorado. Após terminado o procedimento cirúrgico, a PM foi até o leito onde o mesmo estava, e ele se identificou verbalmente, como sendo Bombeiro Militar da ativa do estado de Goiás. Ele relatou ainda que, estava em Bom Jesus do Araguaia, para ver uma propriedade que ele teria interesse de adquirir e que juntamente com outras pessoas, decidiram caçar. Ao entardecer, segundo ele, estavam todos em uma roda, com aproximadamente cinco pessoas, e de repente, ouviu um disparo e sentiu que teria sido atingido. Ele mesmo estancou o sangramento e pediu que fosse levado ao socorro médico.

A PM perguntou porque o pessoal que o acompanhava não esperou a PM chegar até o hospital e na hora que foram informados tomaram rumo ignorado, o homem disse que eles teriam ido almoçar, porém não sabia aonde. À PM ele disse que a arma utilizada foi uma carabina e que ele não sabia quem teria efetuado o disparo. E com as informações repassadas bombeiro, do modelo e cor do carro, sendo um Onix de cor prata placas da cidade de Goiânia, veículo locado, a PM saiu em diligência no intuito de localizar os outros dois que teriam trazido o mesmo para o hospital. Em rondas pela avenida Norberto Schwuantes, a PM se deparou com os suspeitos sentados em baixo de umas mangueiras e com o carro estacionado com as mesmas caraterísticas.

Foi feito a abordagem e perguntado o que estariam fazendo naquele local, e fora relatado que estavam esperando um amigo que eles teriam trazido de Bom Jesus do Araguaia após um acidente. Perguntado qual tipo de acidente esse "tal" amigo teria sofrido, relataram que teria sido disparo de arma de fogo. Foi feito a busca pessoal e a busca veicular, mas nada de ilícito foi encontrado. Perguntado sobre o fato que ocasionou o disparo no militar, um dos homens relatou que ele e o bombeiro estavam na porta de um hotel em Bom Jesus do Araguaia, por volta das 23h00m conversando e que em certo momento o militar retirou de sua cintura uma pistola e foi desmuniciar, momento que ouve o disparo atingindo a sua perna direita.

No hospital, o militar ligou para um dos homens e pediu para que ele o acompanhasse na ambulância pois só poderia ser encaminhado se tivesse alguém de acompanhante. Perguntado ao homem que acompanhou o militar, se o disparo teria ocorrido na zona rural como o sub relatou a PM, em primeiro momento e que teria sido uma terceira pessoa que teria atirado, ele respondeu que não, que o fato se deu dentro da cidade que estava somente os dois no momento que a arma disparou e que só teve tempo de levá-lo para o hospital. Perguntado sobre a pistola, relatou que a pistola teria ficado no quarto em que o bombeiro estava.

Diante dessa informação, a PM entrou em contato com o comandante daquele núcleo que informou a GU de serviço, e deslocaram até o hotel em que estava hospedado, e lá foram recebidos pela proprietária do hotel, que em revista no quarto nada foi encontrado. A PM voltou ao hospital e quando fora informado ao militar que foi repassado para o escalão superior, o mesmo assumiu que ele que teria atirado nele mesmo, que pelo fato da arma não possuir registro e não possuir porte de arma achou por bem não relatar o que de fato teria acontecido.

Perguntado novamente sobre a arma, o bombeiro pediu para que um dos homens ligasse para outro, e ir buscar a arma que estava com eles e que ele a guardasse ou que sumisse com ela. Antes da PM deslocar para o CISC, foi perguntado novamente ao rapaz que estaria acompanhando o baleado, sobre a arma e informado a ele que o bombeiro teria ‘abrido’ o jogo e falado a verdade, foi então que ele confirmou o que o militar teria acabado de relatar.

Que no momento do desespero, vendo aquela situação, ligou para um outro homem, falando o que teria acontecido, e posteriormente este homem deslocou até o hospital, pegou a arma e levou embora. Novamente fora entrado em contato com a PM de Bom Jesus e relatamos esse novo fato, que fizeram diligencia no intuito de localizar esse outro homem, porém não obtiveram êxito até o termino desse B.O. que diante dos fatos, o bombeiro ficou hospitalizado após ter passado por uma cirurgia para retirada do projétil e os outros dois suspeitos foram encaminhados para delegacia de polícia para conhecimento da autoridade de plantão.

Veja Também