• Brasil Escolar
  • Anuncie
  • Informativo Camara
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

ATUALIZADA DIA 27/06

SITUAÇÃO INSUSTENTÁVEL

ÁGUA BOA - A direção da Escola Estadual 09 de Julho chamou ontem no começo da tarde, a presença de uma viatura da Polícia Militar para denunciar que adolescentes ficam em frente a escola atraindo para fora da sala de aula aqueles que querem estudar. A patrulha da PM efetuou abordagem aos menores que estavam acompanhadas de uma moça maior.

Esta moça já se envolveu em várias brigas com estudantes na saída dos colégios. Um dos menores também confirmou que já participou de um roubo de motocicleta e por receptação de objeto furtado. Todos esses jovens que ficaram do lado de fora nem estudam nessa escola, mas estavam ali para perturbar os alunos que ainda estão atraídos pelo estudo.

Todos foram orientados a evitar os maus exemplos. Logo em seguida, os policiais militares foram até o Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente para informar a situação verificada. Os conselheiros já estão a par do problema e junto com a promotoria da Infância e da Juventude, estavam procurando uma solução.

Por volta das 17hs 30min, a mesma guarnição da Polícia Militar retornou para a frente da Escola 09 de Julho, encontrando novamente o mesmo grupo de suspeitos. Quando os policiais foram em direção dos adolescentes para outra abordagem, foram agredidos pelo grupinho. Os policiais tiveram que usar força moderada para conter os suspeitos.

Os menores também passaram a xingar ostensivamente os policiais. O Conselho Tutelar foi acionado novamente para acompanhar a ocorrência. Outras duas menores que causaram transtornos na mesma escola também foram apreendidas pela Polícia Militar com acompanhamento do Conselho Tutelar. Os menores também xingavam os integrantes do Conselho Tutelar. O caso parou na Delegacia de Polícia.

Cabe algumas perguntas: por qual motivo os pais desses menores permitem que os mesmos fiquem o dia perambulando pelas ruas? As autoridades tomarão providências antes que tragédias maiores aconteçam?

 

 

=============== 

 

 

ATUALIZADA

O comandante do policiamento do 16º BPM lamentou os atos de violência entre adolescentes. O tenente coronel Wanderson Silva Sá observou que a corporação está à disposição das escolas para ajudar no que for possível para inibir a violência.

Ele lembra, porém, que escola ensina matemática, física, química, ciências, inglês, espanhol, mas que a educação e os bons modos são coisas herdadas de casa.

“Cabe à família ser chamada também para uma conversa no sentido de resolver a problemática crescente da violência entre adolescentes” destacou ele. A Polícia Militar vai reforçar o policiamento ostensivo próximo aos colégios como forma de dar uma maior sensação de segurança pública.

Moradores se manifestam

Conversamos com moradores próximos aos colégios sobre o fato. Alguns afirmaram que nos últimos tempos tem aumentado as brigas de estudantes na saída das aulas. Porém, um fato grave como esse, foi atípico, disseram eles. “Parecia um filme”, disse uma moradora. (Inácio Roberto)

 

====================== 

 

ATUALIZADA

ÁGUA BOA – Nossa reportagem fez contato esta manhã com a direção da Escola Estadual 09 de Julho. Foi próximo a este colégio que a briga ocorreu com a filmagem dos fatos. O diretor da escola, prof. Joaquim Jamil de Freitas disse que a escola tem regimento interno que prevê suspensão de alunos briguentos.

A escola vai instaurar um procedimento interno para apurar os fatos. Porém, Jamil afirmou que a confusão parece ter se originado em outro estabelecimento educacional. Os professores que assistiram ao vídeo lamentaram os atos de violência. Os professores do 09 de julho já identificaram seus estudantes envolvidos.

ÁGUA BOA – A diretora da escola Estadual Antonio Gröhs confirmou esta manhã que ontem, notou um desentendimento entre estudantes. Por medidas preventivas, Silvia Zanardi chamou a presença da Polícia Militar. Os estudantes se dispersaram em seguida. Segundo Silvia, depois, ela ficou sabendo que alguns estudantes acabaram brigando próximo ao colégio 09 de Julho.

Silvia disse que identificou pelas imagens, que alguns alunos envolvidos na briga são da Escola Antonio Grohs. Como eles estavam de uniforme, poderão sofrer sanções da escola, que segue seu regimento interno para tratar com alunos com atos de indisciplina.

 

==================== 

Arte ilustrativa 

ÁGUA BOA – Um vídeo filmado ontem na saída de uma escola na cidade viralizou nas redes sociais. No vídeo gravado por um estudante, aparecem imagens de dois adolescentes brigando. A briga começou próximo a um colégio e foi se deslocando pela rua em frente às casas próximas.

Os dois adolescentes não se importaram com a presença de vários alunos, e continuaram engalfinhados na luta corporal. Em certo momento, algumas meninas também entraram na briga, e no fim, vários estudantes estavam envolvidos. As filmagens mostram inclusive que os estudantes presentes estavam instigando a violência, o que é lamentável.

Nossa reportagem ouviu alguns adolescentes que afirmaram se tratar de uma rixa pessoal. Outros disseram que se tata de uma rixa entre alunos de duas escolas.

A filmagem foi repassada pela nossa reportagem ao Comandante do Policiamento, Tenente Coronel Wanderson Silva Sá. O oficial vai se manifestar esta tarde sobre o episódio.

ÁGUA BOA – O departamento de jornalismo da Rádio Interativa entregou esta manhã na Promotoria da Infância e da Juventude da comarca, as imagens filmadas ontem na saída de um colégio, mostrando atos de violência entre adolescentes.

A promotora da Infância e da Juventude, Alice Cristina de Arruda e Silva Alves, assistiu ao vídeo e imediatamente solicitou a abertura de um procedimento para investigar os fatos. Os atos de violência mostrados chocaram vários pais que fizeram contato com nossa reportagem.

Os pais disseram que se essa violência não for coibida com urgência, a escola se tornará um local inseguro para os filhos. Como as filmagens envolvem somente menores, essas imagens não serão exibidas pelo site. O video foi enviado por um pai de estudante que está preocupado com o caso.