• H Cancer MT
  • Brasil Escolar
0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 03/08 - 9HS

ÁGUA BOA - Agosto continua influenciado pela massa de ar frio no Araguaia. A temperatura mais baixa do ano ocorreu no dia 03 de agosto, às 7hs, com 13,6 graus. A informação é da Estação Meteorológica do Inmet localizada no Rancho 17, ao lado de nossa cidade.

QUERÊNCIA - A temperatura mais baixa do ano na cidade, registrada pelo Inmet, ocorreu no dia primeiro de julho, com 13,3 graus.

====================

ATUALIZADA DIA 27/06 - 8HS 

ÁGUA BOA – Este mês de junho é conhecido como o mês que registrou temperaturas mais baixas nesse ano. Esta manhã, novamente tivemos o dia mais frio do ano.

Por volta das 8hs da manhã, os termômetros da Estação Meteorológica do Inmet no Rancho 17 registraram 14 graus e 6 décimos, a mais baixa do ano. Antes, a temperatura mais baixa tinha sido registrada no dia 13 de junho, com 15 graus e 2 décimos.

QUERÊNCIA – Este mês de junho é conhecido como o mês que registrou temperaturas mais baixas nesse ano. Esta manhã, novamente tivemos o dia mais frio do ano. Por volta das 7hs da manhã, os termômetros da Estação Meteorológica do Inmet em Querência, registraram 16 graus, a mais baixa do ano.

Muitas pessoas não notaram esse extremo, uma vez que praticamente não havia ventos, que são os causadores da sensação térmica mais baixa.

======================= 

 

ATUALIZADA DIA 13/06 - 8HS 

ÁGUA BOA – A cidade registrou na manhã de hoje, 13 de junho, a temperatura mais baixa do ano. Por volta das 7hs da manhã, foram registrados 15 graus e 2 décimos, porém, com sensação térmica de 13 graus, por causa dos ventos. A informação é da Estação Meteorológica do Inmet localizada no Rancho 17 ao lado da cidade. Antes, a temperatura mais baixa tinha ocorrido no dia 28 de abril, com 15 graus e 3 décimos.

================= 

ATUALIZADA DIA 29/04 - ÁGUA BOA – A primeira onda fria do ano permanece na região Araguaia. A temperatura mais baixa hoje (29/04) foi registrada às 7hs, com 16 graus e 4 décimos. A informação é da estação meteorológica do Inmet localizada no Rancho 17 ao lado de nossa cidade. Ontem, a temperatura máxima chegou aos 29 graus e 1 décimo por volta das 15hs.

Já em Querência, o Inmet registrou a temperatura mais baixa de hoje, às 7hs, com 18 graus e 6 décimos. Ontem, a máxima foi de 30 graus e 9 décimos às 16hs. As temperaturas baixas devem permanecer até o domingo na região Araguaia.

 

=== 

ÁGUA BOA - A primeira onda fria do ano permanece na região, derrubando ainda mais as temperaturas na madrugada de hoje (28/04). Tanto que a temperatura mais baixa foi registrada agora a pouco, às 7hs, com 15 graus e 4 décimos.

A informação é da estação meteorológica do Inmet localizada no Rancho 17 ao lado de nossa cidade. Ontem, a temperatura máxima chegou aos 27 graus e 2 décimos por volta das 15hs.

Já em Querência, o Inmet registrou a temperatura mais baixa de hoje, às 7hs, com 17 graus e 4 décimos. Ontem, a máxima foi de 30 graus e 5 décimos às 16hs.

 

 

=== 

 

 ÁGUA BOA – A frente fria anunciada na semana passada pela Rádio Interativa, entrou na madrugada desta quarta-feira (27/04) no Araguaia. A temperatura mínima em Água Boa foi de 16,8 com sensação térmica de 13 graus por volta das 7hs desta manhã.

De ontem para hoje, a temperatura caiu da máxima de 34,2 para 16,8, uma diminuição de mais de 17 graus.

Em Querência, a máxima ontem esteve em 35 graus e 3 décimos, caindo mais de 15 graus para a mínima desta manhã, que foi de 20 graus e 7 décimos.

Esta é a primeira frente fria trazendo ar polar do ano.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

VALE DO ARAGUAIA - A equipe da regional da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) de Barra do Garças apreendeu 200 kg de pescado irregular durante uma operação realizada neste fim de semana na região do Rio Kuluene, nas proximidades da hidrelétrica. Foram apreendidos dois barcos, duas canoas e um caminhão. Ninguém foi preso. As multas aplicadas totalizam R$ 5 mil.

Conforme o diretor da unidade regional, Fernando Saldanha Farias, a operação foi motivada por denúncias e contou com a participação da Polícia Civil, envolveu oito pessoas, entre fiscais e policiais, e começou na madrugada de sábado (23.07) e se encerrou na tarde de domingo (24.07). O pescado foi doado para o abrigo de idosos do município. “Entre o material apreendido, os barcos e canoas estão com a Sema e o caminhão está com o proprietário, como fiel depositário”.

Acampamentos

Farias explica que a Sema também promoveu uma ação de identificação e notificação das pessoas que estão participando de acampamentos de férias ao longo dos Rios Araguaia e Garças, entre os municípios de General Carneiro e Araguaiana. O objetivo foi mostrar os cuidados necessários para a utilização desta faixa às margens dos rios que é Área de Preservação Permanente (APP).

Foram dois dias levando informações de educação ambiental, em parceria com diversas instituições, entre elas, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Ministério Público Estadual (MPE) e Juizado Volante Ambiental (Juvam). Por ser cartão-postal da região para o Brasil, as praias de água doce reúnem no mês de julho um volume grande de turistas que vêm em busca de diversão e descanso, mas que precisam estar atentos à conversação do meio ambiente.

“A madeira para a construção do acampamento não pode ser do cerrado, ou seja, não pode ser de exploração ilegal, também não é permitido uso de fogo neste período, seja para queimar as estruturas ao ir embora (como a palha do telhado) ou o lixo, que, aliás, deve ter uma destinação adequada e não pode poluir o rio. Outro ponto importante é não exagerar no volume do aparelho de som, pois este é um lugar com grande variedade de animais silvestres”, explicou o diretor da unidade da Sema.

A equipe de fiscalização acompanhará este período para autuar os proprietários das áreas, já que a maioria delas é particular, que não cumprirem as exigências de uso, que incluem ainda as regras de pesca e proibição da caça. Toda a estrutura montada no período de férias deverá ser retirada no final de julho.

 

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

WASHINGTON - O mês passado foi o junho mais quente no planeta desde o início dos registros, em 1880, com 15,5 graus Celsius de média, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (Noaa). "A temperatura média mundial de superfícies terrestres e oceânicas para junho de 2016 foi a mais alta para este mês desde 1880, ano em que começaram os registros de dados de temperatura global", indicou a Noaa.

A autoridade meteorológica americana disse que junho foi também o 14º mês consecutivo com recorde de temperaturas altas no planeta. Este aumento levou a Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) a afirmar hoje que foram "quebrados vários recordes no primeiro semestre de 2016". "Apesar destes dois indicadores do clima terem superado os registros em 2016, os cientistas da Nasa disseram que é mais significativo que a temperatura global e o gelo marinho do Ártico continuem suas décadas de tendências de mudança", destacou a agência.

Segundo a Noaa, os 15,5 graus registrados de média em junho na Terra são a temperatura mais alta para este mês entre 1880 e 2016, superando o recorde anterior, estabelecido em 2015. Em termos gerais, desde fevereiro de 2015 foram registrados 14 dos 15 meses mais quentes, de acordo com a NOAA, que indica que a temperatura da superfície do mar registrou ainda um novo patamar máximo para um mês de junho.

Entre as anomalias registradas no mês passado, os cientistas destacaram a diminuição do gelo no Ártico, que ficou 11,4% abaixo da média do período 1981-2010, e as contínuas precipitações no centro e no norte da Europa. Para a Nasa, a relevância da tendência mundial de aumento das temperaturas se vê superada pelo aquecimento da região ártica. "Foi um ano recorde em temperatura global, mas as altas temperaturas recorde no Ártico nos últimos seis meses foram ainda mais extremas", disse o cientista Walt Meier, da Nasa, em comunicado.

A extensão de gelo marinho do Ártico no pico da temporada de degelo do verão cobre na atualidade 40% a menos de superfície que no final dos anos 70 e começo dos 80, destacou a agência espacial americana.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e o setor produtivo se reuniram inúmeras vezes com o governo do Estado para discutir alteração da redação de diversos dispositivos do Decreto 420/2016, que dispõe sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR), Regularização Ambiental de imóveis rurais e a implantação do Programa de Regularização Ambiental (PRA) em Mato Grosso. Um dos dispositivos questionados pela Famato foi o artigo 68, que trata da proibição do ‘correntão’ para supressão de vegetação nativa do uso alternativo do solo em Mato Grosso, configurando crime ambiental.
Em resposta a esse trabalho, foi publicado no dia 07 de julho o Decreto Legislativo nº 49, de autoria do Deputado Estadual Dilmar Dal Bosco, que suspende os efeitos do artigo 68, liberando o ‘correntão’ para abertura de áreas em Mato Grosso, mediante autorização de desmatamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
De acordo com a analista de Meio Ambiente da Famato, Lucélia Avi, sem o uso do implemento agrícola, a atividade fica inviabilizada. Além da utilização para supressão de vegetação nativa em áreas autorizadas, ele é utilizado para limpeza de áreas e pastagens e nivelamento do solo para atividade agrícola.
A Famato, entidade de classe que representa 90 Sindicatos Rurais de Mato Grosso, completou 50 anos no dia 16 de dezembro de 2015. Ao longo dessas cinco décadas levantou diversas bandeiras em prol do produtor. Lidera o Sistema Famato, composto pela Famato, Sindicatos Rurais, Senar-MT e o Imea. Essa trajetória é celebrada graças ao trabalho dos produtores rurais e dos colaboradores. Acompanhem nossas redes sociais pelo www.facebook.com/sistemafamato e @sistemafamato (instagram e twitter) #Famato50anos.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

ÁGUA BOA - O Instituto Brasileiro de Administração Municipal – IBAM premiou o CODEMA com o certificado de reconhecimento  no âmbito de Gestão Ambiental no Bioma Amazônia, na categoria Monitoramento, Controle e Recuperação Ambiental, à prática fiscalização e licenciamento ambiental. 

O IBAM é uma associação civil sem fins lucrativos, criada em 1º de outubro de 1952, com sede no Rio de Janeiro. Sua fundação recebeu o apoio das associações municipais e dos movimentos relacionados ao municipalismo brasileiro. O Instituto atua tanto no Brasil como no exterior promovendo – com base na ética, transparência e independência partidária – o desenvolvimento institucional do Município como esfera autônoma de Governo, o fortalecimento de sua capacidade de formular políticas, prestar serviços e fomentar o desenvolvimento local, objetivando uma sociedade democrática e a valorização da cidadania.

A Premiação de Boas Práticas de Gestão Ambiental teve por objetivo identificar e premiar experiências desenvolvidas no bioma Amazônia que promovam a preservação dos recursos naturais e o desenvolvimento local sustentável, em especial a redução do desmatamento, visando reconhecer e disseminar experiências exitosas, contribuindo para a melhoria de políticas públicas ambientais. 

O analista de gestão socioambiental do IBAM, Leonardo Melo, esteve na sede do CODEMA em Água Boa entregando o certificado para o presidente do CODEMA, Luis Henrique do Amaral e toda sua equipe, que está muito satisfeita com o reconhecimento do trabalho que por eles vem sendo desenvolvido.

CODEMA é o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental "Médio Araguaia", composto por nove municípios: Água Boa, Campinápolis, Canarana, Cocalinho, Gaúcha do Norte, Nova Nazaré, Nova Xavantina, Querência e Ribeirão Cascalheira.

{cwgallery}

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

CUIABÁ – O período proibitivo de queimadas em Mato Grosso começa no próximo dia 15 de julho e as multas podem chegar a R$ 7,5 mil por hectare nas áreas rurais.

Em pouco mais de seis meses, foram registrados 7.142 focos de queimadas no Estado, um incremento de 32% no comparativo com o ano passado. Mato Grosso é líder entre as unidades federativas, seguido de Roraima (3.161 focos) e do Tocantins (3.136 focos). O período proibitivo de queimadas em Mato Grosso ocorre entre os dias 15 de julho e 15 de setembro, podendo vir a ser prorrogado em razão das condições climáticas. (site)

Add a comment