• Brasil Escolar
  • Anuncie
  • Informativo Camara
0
0
0
s2sdefault

ATUALIZADA DIA 17/AGO

ÁGUA BOA – Fiscais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente estão ontem e hoje em nosso município. Ontem, eles se reuniram com o pessoal técnico do Codema – Consórcio Regional de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Médio Araguaia.

Em seguida, os técnicos da Sema efetuaram vistoria no interior para verificar a possibilidade de crime ambiental, conforme denúncias já divulgadas aqui pela Interativa. Um dos pontos visitados foi o PA Jatobazinho, onde nossa reportagem flagrou aparente desvio de um curso d’água para alimentar uma plantação de melancias.

Existe ainda outra denúncia no PA Jatobazinho, de desvio de curso d’água para alimentar um reflorestamento. Uma terceira denúncia de crime ambiental ocorreu no PA Jaraguá, onde um varjão foi drenado, prejudicando vizinhos. A Rádio Interativa também já foi informada que existem outros casos semelhantes em outros pontos do interior.

Denúncias de crime ambiental devem ser repassadas ao Codema e ao Ministério Público Estadual. Hoje, quinta-feira, técnicos da Sema estão fazendo vistorias no frigorífico local. O laudo das visitas efetuadas no interior sairá na semana que vem. Os técnicos da Sema não permitiram que a reportagem acompanhasse as visitas técnicas, por isso não temos registro da fiscalização.

 

===================== 

 

ÁGUA BOA – Nossa equipe de jornalismo recebeu uma denúncia de desvio de um curso natural de um Córrego localizado no Projeto de Assentamento (PA) Jatobazinho, a cerca de 20 quilômetros da cidade de Água Boa. Ao chegarmos no local nos deparamos com uma estrutura que desviava água do córrego. Além do desvio, outra estrutura direcionava as águas desviadas para uma plantação de melancias. Esta estrutura, além de desviar a água, regulava a quantidade e a velocidade com que a água entrava na plantação.

Aparentemente, constatamos que foram utilizadas peças de madeira para realizar o controle da quantidade de água que é destinada à plantação de melancias.

Ainda no local do desvio existem marcas de pneus de grande porte aparentando ser de veículos grandes, como tratores ou pá carregadeira. Isso indica que máquinas de pesado porte trabalharam no local. Muita terra foi colocada no leito do rio, aparentemente para desviar o curso d’água para dentro da plantação. Com o desvio, resta pouca água no córrego, o que pode prejudicar os moradores ribeirinhos mais adiante.

Uma pessoa que fez a denúncia anônima ainda informou que não é a primeira vez que isso acontece. Tais desvios já aconteceram outras 3 vezes, prejudicando todo o ecossistema. Quando isso acontece sobra pouca água para a vizinhança. Quem mora depois da propriedade onde aparentemente foi feito o desvio praticamente não tem água.

O fato foi denunciado formalmente ao Codema, e será também para a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e ao Ministério Público Estadual. Na hora da visita da reportagem ontem, havia alguns homens trabalhando na plantação de melancias. Todos receberam bem nossa equipe e ninguém impediu que as fotografias fossem feitas, registrando a movimentação de terra no local. Os nomes foram preservados, uma vez que se trata apenas de uma denúncia. Porém, moradores das redondezas que suspeitarem de algo errado, podem reforçar essa denúncia comparecendo ao Codema ou ao MPE.

Deiwis SchindlerDeiwis Schindler ÁGUA BOA – O Secretário Executivo do Codema – Consórcio Regional de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Médio Araguaia, confirmou o recebimento de denúncias de suspeita de crime ambiental no município. Deiwis Schindler disse que todas as denúncias foram enviadas para a Secretaria Estadual do Meio Ambiente para fins de investigação.

Se os proprietários das terras tem laudo ambiental, terão perfeita condição de atuar em projetos. Porém, se as obras de desvio de córregos foram efetuadas sem licença ambiental, a situação muda. No PA Jaraguá, uma denúncia feita ao Codema indica drenagem de um varjão com uso de máquinas próximo à MT-240. Na localidade do PA Jatobazinho existem duas denúncias. Uma envolve desvio de curso de água para abastecer uma plantação de teca, o que prejudicou uma propriedade vizinha que ficou sem água.

Outra denúncia informa que outro curso d’água foi desviado também no PA Jatobazinho para irrigar plantações. Segundo Schindler, as três denúncias foram encaminhadas para a SEMA, a quem caberá investigar os fatos. (Wallacy Riboli/Inácio Roberto)

Confira imagens e cópias dos documentos do Codema.