0
0
0
s2sdefault

 ÁGUA BOA - O Clube de Aventureiros Abelhinhas de Água Boa promoveu nesta sexta-feira, a entrega de brinquedos usados para alunos da creche Escola Municipal Ermindo Mendel do Bairro Universitário. Os brinquedos foram arrecadados durante uma campanha do Dia Mundial do Aventureiro em 20 de maio. Também foram adquiridos brinquedos novos para a campanha.

Michele Gewehr Motta, diretora do clube, disse que a iniciativa era de que se buscassem brinquedos usados, mas que estivessem em bom uso para a doação. Trata-se de um incentivo que estimula as crianças a atitudes de desprendimento. Os brinquedos certamente servirão para que outras crianças usufruam de momentos de lazer e alegria.

O Clube de Aventureiros é um departamento da Igreja Adventista do 7º Dia voltado a trabalhar com crianças de 6 a 9 anos de todas as denominações. Os infantes participam de atividades instrutivas, recreativas e de lazer.

História

Foi em 1972 que a Igreja Adventista do Sétimo Dia tentou, pela primeira vez, criar um programa específico para as crianças menores de dez anos. Isso aconteceu em Washington (EUA), sob a direção de Carolee Riegel. Em 1988, a Divisão Norte Americana convidou as Associações interessadas e pessoas especializadas em crianças para estudar a oficialização do Clube de Aventureiros.

Uma comissão se reuniu, um ano mais tarde (1989) para atualizar o currículo, as especialidades e estabelecer normas para a organização e funcionamento do Clube. No mesmo ano, a Associação Geral oficializou as Classes dos Aventureiros (Abelhinhas Laboriosas, Luminares, Edificadores e Mãos Ajudadoras), confirmando o trabalho feito por Teresa Reeve. Ela escreveu o currículo dos Aventureiros. Em 1990, o plano piloto do Clube de Aventureiros foi iniciado nos Estados Unidos, na Divisão Norte Americana.

Em 1991, a Associação Geral o autorizou, como programa mundial, estabelecendo seus objetivos, currículo, bandeira, uniforme e ideais.

Em Água Boa, há anos que o projeto do Clube de Aventureiros vem sendo estudado, até sua criação oficial no presente ano (2.017)

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

GOIÂNIA/GO--ÁGUA BOA/MT - Na manhã desta quinta-feira, 25 de maio, foi deflagrada, pelo Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal em Goiás e pela Superintendência de Polícia Federal em Goiás, operação conjunta para cumprimento de 2 mandados de prisão preventiva, 7 mandados de busca e apreensão e 4 mandados de condução coercitiva em Goiás e no Mato Grosso. Em nota, a Procuradoria informou que os mandados foram solicitados pelo Núcleo de Combate à Corrupção do MPF/GO e concedidos pelo juiz substituto da 11ª Vara Federal da Seção Judiciária de Goiás, especializada em crimes financeiros e lavagem de dinheiro. Juquinha da Valec

A operação é um desdobramento das investigações da Operação Lava Jato e nova etapa das Operações O Recebedor e Tabela Periódica. Baseia-se em acordos de colaboração premiada assinados com o MPF/GO pelos executivos das construtoras Camargo Corrêa e da Andrade Gutierrez, que confessaram o pagamento de propina ao então presidente da VALEC, José Francisco das Neves, o Juquinha. As investigações da Polícia Federal em Goiás levaram à identificação e à localização de parte do patrimônio ilícito mantido oculto em nome de terceiros (laranjas). Os principais alvos da operação são José Francisco das Neves, seu filho Jader Ferreira das Neves e o advogado Leandro de Melo Ribeiro. Os dois primeiros são suspeitos de continuarem a lavar dinheiro oriundo de propina, mantendo oculto parte do patrimônio amealhado. O último é suspeito de ser laranja dos dois primeiros e de auxiliá-los na ocultação do patrimônio.

A pedido do MPF/GO, o juiz substituto da 11a Vara Federal da Sessão Judiciária de Goiás determinou as prisões preventivas de Jader e de Leandro, além das conduções coercitivas de Juquinha, do advogado Mauro Césio Ribeiro (sócio e pai de Leandro), de Jeovano Barbosa Caetano e de Fábio Junio dos Santos Pereira, suspeitos de prestarem auxílio para a execução de atos de lavagem. As buscas e apreensões têm como alvo as casas dos investigados, a sede das empresas Pólis Construções e Noroeste Imóveis, que funcionariam no escritório de advocacia de Mauro Césio e Leandro Ribeiro. A sede da Imobiliária Água Boa também foi visitada esta manhã pela Polícia Federal.

Juquinha e seu filho já foram condenados na ação penal nº 18.114-41.2013.4.01.3500 (operação Trem Pagador) a, respectivamente, 10 e 7 anos de reclusão, por formarem quadrilha e lavarem aproximadamente R$20 milhões provenientes da prática de crimes de cartel, fraudes em licitações, peculato e corrupção nas obras de construção da Ferrovia Norte-Sul, praticados por Juquinha quando presidiu a empresa pública VALEC. Ambos aguardavam o julgamento de seus recursos em liberdade. As prisões foram pedidas porque se apurou que os investigados, mesmo depois de condenados, continuam a cometer crimes de lavagem de dinheiro (estão em plena atividade criminosa), estão produzindo provas falsas no processo para ludibriar o juízo e assegurar impunidade, além de custearem parte de sua defesa técnica (advogados) com dinheiro de propina.

Um dos principais objetivos da Operação é o sequestro e apreensão dos bens, que estão sendo mantidos em nome de terceiros como forma de ocultar sua real propriedade e a origem dos recursos usados para a sua aquisição. Entre os bens citados na operação estão apartamentos em Goiânia, casas populares em Bela Vista/GO, dois aviões, nota promissória de R$ 750 mil e uma gleba de terras em Breu Branco e Goianésia/Pará. Um Loteamento registrado em nome da Noroeste Imóveis, com quase 300 lotes em Agua Boa, Mato Grosso, também foi citada na reportagem como sendo alvo de investigação. A Polícia Federal estima que com esses bens tenham sido lavados pelo menos R$ 4,4 milhões provenientes de propina, em valores de 2012. Entretanto, somente após a avaliação desse patrimônio é que se chegará ao valor real.

ÁGUA BOA – O proprietário da Imobiliária Água Boa foi visitado esta manhã por policiais federais. Darci Antonio Mendel emitiu uma nota à imprensa para falar sobre o episódio. Confira o teor da nota abaixo:

Doc Darci Mendel

ÁGUA BOA – Juquinha das Neves, quando presidente da Valec visitou a cidade de Água Boa várias vezes. Em abril de 2.010, uma audiência pública no Centro Cultural Luterano foi realizada.

Na ocasião, José Fancisco das Neves, o Juquinha da Valec prometeu que o trem apitaria em 2.013 ou 2.015 em Água Boa. Agora, ele vira alvo de investigação por suposto desvio de dinheiro e enriquecimento ilícito. A obra nunca saiu da promessa.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

Foto: Elton Iappe BRASÍLIA - Lideranças sindicais de várias partes do país estão hoje na capital federal para protestar contra as reformas trabalhista e da previdência social pretendidas pelo governo federal. 

Por volta do meio dia, policiais tentavam impedir a aproximação dos manifestantes até a Esplanada dos Ministérios. Isso causou um conflito. Grupos atiraram hastes de bandeiras e outros objetos na direção da PM, e policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta.

Do trio elétrico, lideranças sindicais pediram que o ato avançasse rumo ao centro do poder.

Os protestos são contra o governo de Michel Temer, acusado de envolvimento em fatos ilíticos. O repórter fotográfico e diretor financeiro da Rádio Interativa, Elton Iappe, acompanha o movimento.

A polícia queria impedir o acesso do grupo à Praça dos Três Poderes e ao Congresso Nacional, tentando isolar os detentores do poder.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

ÁGUA BOA – Os agentes penitenciários lotados na Penitenciária Regional Major Zuzi cancelaram a paralisação deste final de semana. Os agentes penitenciários estariam acompanhando paralisação nacional da categoria contra as reformas da previdência social.

Como o projeto parou de tramitar no congresso por causa das recentes denúncias contra políticos, a paralisação também foi cancelada. As altas aposentadorias em função pública não serão atingidas pela reforma do governo, o que deixa a categoria em alerta.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

ÁGUA BOA – Circula hoje na região o Jornal Interativo edição 472. Confira as principais manchetes desta semana:

472- Prefeito Gorgen explica denúncias.

- Obras na MT-240.

- Arapuca fiscal.

- Reforma trabalhista.

- Comitiva na capital.

- Vereadores explicam denúncias em vídeo.

- Estradeiro na MT-020 e 326.

- Codema se reuniu.

- Custo da próxima safra de soja pode cair 6%.

- Imprudência no trânsito: vítimas são crianças.

 

Estas e outras notícias você lê no Jornal Interativo que circula neste final de semana no Araguaia.

Add a comment
0
0
0
s2sdefault

 ÁGUA BOA – Aconteceu esta manhã um pit stop de conscientização pela luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. A parada ocorreu no centro da cidade próximo à rotatória ao chafariz.

O evento será repetido esta tarde, das 16hs 30min às 189hs 30min. A promoção é do CREAS – e Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente.

Hoje, 18 de maio, transcorre o dia nacional de luta contra a exploração sexual de menores.

Add a comment