• Brasil Escolar
  • Informativo Camara
  • HVA

         

0
0
0
s2sdefault

Paulo Barbosa ÁGUA BOA - Técnicos da Politec fizeram ontem uma necropsia de um cadáver localizado em Canarana. Segundo o chefe da Politec local, o cadáver já estava em adiantado estado de putrefação, e por isso, a necropsia não podia ser feita no IML em anexo ao Hospital Regional Paulo Alemão.

Por falta de um local, o trabalho teve que ser feito nos fundos do CISC. Paulo Barbosa salientou que falta estrutura ao órgão. “Não é a primeira vez que isso ocorre, despertando curiosidade das pessoas, gerando vários tipos de comentários”.

Segundo Barbosa, este problema sempre existiu. No passado se fazia tais necropsias no cemitério, mas a Vigilância Sanitária recebia muitas reclamações dos moradores próximos. Diante desta situação, a direção da Politec optou por fazer os serviços nos fundos do CISC, por ser uma região com pouca vizinhança, e de frente para a Estação de Tratamento de Esgoto.

Quando ocorre este exame, os técnicos ainda tem o cuidado de posicionar os veículos de modo a bloquear a visibilidade dos curiosos que passam pela rua do fundo. Porém, sempre tem algum curioso que mesmo de longe, tenta ver o que está acontecendo. Depois, ainda espalham informações distorcidas sobre a verdade dos fatos.

A falta de estrutura para estes exames é conhecida das autoridades e da diretoria da POLITEC. No entanto, segundo Paulo Barbosa, a solução está longe de acontecer, uma vez que seria necessário ter o prédio próprio adequado para atender as necessidades da Politec.