• Brasil Escolar
  • Informativo Camara
  • HVA

         

0
0
0
s2sdefault

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e o Movimento Pró-Logística começaram, na quarta-feira (28), o último Estradeiro de 2018. O diferencial desta caravana é sua extensão: pela primeira vez, o grupo percorrerá de forma contínua 5 mil quilômetros, passando pelas BR’s 155/158, 163 e a Transamazônica (BR-230).

O objetivo principal do Estradeiro é fazer uma verificação da situação das principais rotas de escoamento dos grãos de Mato Grosso e, posteriormente, elaborar relatórios para serem encaminhados aos órgãos competentes pelas obras de manutenção e pavimentação das vias.

Hoje, a BR-155/158 é a principal rodovia de escoamento da produção da Região Leste de Mato Grosso. Já a BR-163 é a mais utilizada pelas regiões Norte e Oeste. Até o momento, o grupo passou por Primavera do Leste, Paranatinga, Ribeirão Cascalheira, Vila Rica, Santana do Araguaia e Marabá (PA).

“os técnicos verificaram problemas na MT-020 e MT-130 com trechos com alguns buracos, mas com estabilidade na trafegabilidade. Já a MT-109 está tão péssima que o Estradeiro Aprosoja teve que fazer outro caminho. Caminhões atolados impediram o Estradeiro de prosseguir viagem, explicou o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan.

Outra parte em estado crítico, segundo o diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira, é o da MT-322, que liga a BR-158 à região de Espigão do Leste (ou Baianos). “Os produtores estão tendo muitas dificuldades de trafegar nesta via por absoluta falta de conservação do trecho. Agora, com este período chuvoso, será impossível uma manutenção. Quem sofre prejuízos são os transportadores de grãos e os produtores rurais.

O grupo segue viagem até o dia 05 de dezembro, passando ainda por Novo Progresso, Altamira, Santarém, Itaituba, Moraes Almeida Sinop e Cuiabá. Durante a caravana, a Aprosoja e o Movimento Pró-Logística também têm realizado seminários com agricultores da região, para ouvir as demandas e principais gargalos logísticos de cada município.