• HVA
  • Informativo Camara
  • Brasil Escolar

         

0
0
0
s2sdefault

Lúcio

ATUALIZADA DIA 15/08/2018

 

ÁGUA BOA – A colheita do arroz no município rendeu cerca de 225.600 sacas de arroz, com uma média de 48 sacas por hectare. A informação consta em levantamento da Associação dos Engenheiros Agrônomos do município.

Segundo a entidade, foram plantados nesse ano, 4.700 hectares com arroz. O engenheiro agrônomo Lúcio Adalberto Motta Filho disse que 90% do arroz produzido no município é vendido para Goiás, e o restante, para Minas Gerais e Mato Grosso.

Alguns produtores que possuem armazém próprio vendem o produto para fora. Já a indústria de beneficiamento da Semear Agrícola processa cerca de 12 mil sacas de arroz ao ano, cujo produto é revendido nos supermercados da região.

O total de arroz que passou pelo armazém é de 132 mil sacas. Existem outras indústrias e armazéns que também compra e vendem arroz. Segundo Lúcio Motta, a Semear recebe arroz de várias cidades, como Canarana, Querência, e até Confresa.

O preço nesse ano não foi atrativo, pois a saca está orçada em cerca de R$ 36,00, contra R$ 45,00 do ano passado. Mesmo assim, os agrônomos projetam que a área com arroz ocupe no próximo ciclo, cerca de 4.500 a 5.000 hectares no município. Lúcio concederá entrevista daqui a pouco, às 12hs 30min para falar dos números finais da safra de arroz.

 

====================

ATUALIZADA DIA 06/04/2018

 

ÁGUA BOA – Cerca de 30% das lavouras plantadas com arroz já foram colhidas no município. A informação é do engenheiro agrônomo Lúcio Adalberto Motta Filho da Semear Agrícola.

Na maior parte das lavouras colhidas, o arroz é de boa qualidade, alcançando 45 sacas por hectare, considerada como boa produtividade.

Conforme a Associação dos Engenheiros Agrônomos, no atual ciclo, forma plantados 4.100 hectares com arroz em Água Boa, e outros 620 hectares em Nova Nazaré, totalizando mais de 4.700 hectares.

 

==================================== 

 

ATUALIZADA DIA 30/01/2018

ÁGUA BOA – A situação das lavouras de arroz causa apreensão junto aos produtores rurais. A informação é do engenheiro agrônomo Lúcio Adalberto Motta Filho.

Ele vai percorrer as lavouras nesta semana para verificar de perto quais prejuízos podem surgir pela falta de chuvas. Lúcio Motta acredita em prejuízos pontuais em algumas lavouras por falta de umidade no solo.

Novos detalhes serão divulgados nos próximos dias.

 

======================== 

 

PUBLICADO EM NOVEMBRO 2.017

 ÁGUA BOA – Alguns produtores rurais iniciaram o plantio do arroz no município. A informação é do engenheiro agrônomo Lúcio Adalberto Motta Filho.

O forte da semeadura do arroz é dezembro, mas quem planta mais cedo corre risco de ter menos problemas utilizando o escalonamento da semeadura. Quem planta arroz agora, vai fazer a colheita em fevereiro, alcançando melhores preços no primeiro produto colhido.

Lúcio Motta disse que o custo de plantio varia de R$ 800,00 até R$ 1.300,00 o hectare. O agrônomo avisa que o Banco do Brasil voltou a financiar as lavouras de arroz, o que pode beneficiar o pequeno produtor.

Atualmente, a saca de arroz está na casa dos R$ 40,00.